Dornelândia

 

O pessoal da VOID convidou Renato Custódio, Murilo Romão e Cotinz pra começar os trabalhos de residência na Sala Esquesso na @voidgeneralstore do Largo da Batata em SP. Ao mesmo tempo, Renato estava em contato com uma amiga americana chamada Kelly Rauer que estava construindo um drunmsync com R$40, ela dava um workshop de como criar esse sintetizador de vibração para baterias. Custódio foi no workshop, que inclusive aconteceu ali na Void, aprendeu, construiu um e conversando com ela descobriu sobre os microfones de contato, com esse tipo de microfone somente as vibrações são captadas e não o som do ambiente todo. Obviamente ele compartilhou isso com Cotins e Murilo e eles começaram a pensar juntos em como usar aquilo tudo no projeto.

Eles conseguiram os equipamentos necessários para fazer esses testes de gravação e o resultado foi completamente diferente do que eles esperavam em relação ao barulho de skate que estamos acostumados a reconhecer. Compartilharam a experiência e os resultados com o Lucas Ribeiro, João Francisco, Fernanda Carlim e Luisa Dantas, e claro que todos curtiram muito o resultado.
Com a idéia principal dos sons, eles resolveram utilizar materiais recicláveis encontrados em caçambas, ferro-velho e nas ruas, o que daria uma diversidade interessante para os sons captados. Além disso, criaram um obstáculo de dois pallets com arduino (hardware controlador), onde os sons eram acionados com o skate.
Combinaram de gravar o máximo de sons possíveis, dessa forma criar um banco de dados e a partir disso convidar uns músicos experimentais, amigos para criar música em cima desse banco de dados. Todos os obstáculos da sala foram microfonados, ligados à pedais e outras traquitanas musicais para dar mais efeitos ainda e gerar um material farto.
Nosso escudeiro, fotógrafo, video-maker e artista adorador das experiências em geral, foi lá no dia da apresentação ao vivo das lendas Rick, Sesper e M.Takara usando alguns desses sons já gravados lá. O resultado dessa experiência grupal usando, skate e música está aqui nesse vídeo que o Samelo fez usando só um celular, para seguir o raciocínio do projeto todo. Uma demonstração pura do quanto o skate não é apenas um esporte, está muito além de tudo isso. Além do trio citado acima, foram convidadas Raquel Krügel, Acaptcha e o Edgar para gravação do “quartinho”. Eles prometem encerrar na segunda, 23/07/2018, com Klaus Bohms e Daniel Marques.
Mas fique tranquila/o, o projeto vai continuar virtualmente em outros formatos e suportes. Acompanhe tudo que o projeto gerou e vai gerar pelo perfil do instagram deles: https://www.instagram.com/dornelandia/

Por Flávio Samelo