Faith Co – Yan Felipe

Yan Felipe é o mais novo membro da família Faith Co. Aproveitamos pra bater um papo com um dos skatistas mais carismáticos que você vai encontrar pelas ruas do Brasil e do mundo. Tem patrocínio, oportunidades, Ademafia, virar papai e sair pra filmar com o Tio Crazy. Confere!

Vamos começar pelo motivo do papo. Como rolou a entrada na Faith Co?

Yan Felipe: Então, a entrada na Faith foi bem inesperada. Estava voltando de uma trip pra São Paulo com a Ademafia e quando chegamos no Rio fomos direto pra praça Mauá encontrar o Enxaqueca, que estava gravando o comercial do Pro Model dele pra marca. Assim que cheguei ele só falou pra mim “depois o Dieguinho (Sarmento, brand manager da Faith) vai trocar uma ideia contigo. E na mesma sessão, um pouco depois, trocamos umas idéias e no alinhamos. A partir disso comecei a receber umas paradas e fomos estabelecendo cada vez mais a minha relação com a marca.

Massa! E qual tua impressão sobre a marca, o que te motivou a fechar com eles?

Yan Felipe: O principal motivo de ter fechado com a Faith foi me identificar com o conceito da marca. Acho que não apenas eu tenho que representar a visão da marc,a mas é muito importante que a marca também represente minhas visões.

E qual a diferença agora que tem um patro assim, qual é o teu plano de carreira?

Yan Felipe: A grande diferença que estou tendo agora é o suporte da Faith pra colocar minhas idéias em prática. O Dieguinho é um cara foda e põe pilha pra todas as idéias que apresento. Pretendo esse ano fazer algumas viagens pra dentro e fora do Brasil coletando materiais pros projetos que estamos em andamento: videopartes, entrevistas, Doc. Além do skate, também sou editor na Ademafia e faço algumas ilustrações, então quero abusar disso dentro desses projetos, sempre deixando claro minhas vontades e minha ideologia.

E esse lance de doc, pode falar mais? Sabia dessa de editor de vídeos, mas ilustras não, cadê?

Yan Felipe: O doc é um projeto mais meu e do Cochi, onde queremos mostrar não só o skate, mas sim onde o skate pode nos levar. A gente já vem viajando nisso há um tempo e no início desse ano projetamos algumas coisa. Mas ainda tem muita água pra rolar. E quanto as ilustrações é uma parada muito amadora (risos). Mas eu gosto de desenhar e estou aprendendo a usar essas artes nos vídeos que venho fazendo.

Uma mais de skate agora, você costuma lançar umas manobras mais “old school” de onde vem essa influência?

Yan Felipe: Eu sempre curti ver umas paradas diferentes em relação a manobras de skate. Mas foi na minha primeira trip pra Europa junto com dois amigos, o Def e o Dylon, que eu aprendi que o skate é uma extensão de quem eu sou e com isso me senti mais a vontade de mandar o que eu estivesse a fim. Eu gosto de manobrar o que eu curto e acho legal, sem essa de que pra ser o skatista foda você tem mandar o nollie kick mactwist carpado. A partir dai eu sempre tento usar o pico de uma forma diferente da que foi usada anteriormente, mas claro sempre que possível (risos). Basicamente é isso, um skate sem rótulos e nem preconceitos.

E você se tornou pai faz pouco tempo, o que isso mudou na sua vida?

Yan Felipe: Essa foi a maior mudança da minha até hoje. No início foi desesperador, pra falar a real. Eu tava só andando de skate, mas não recebia grana pra isso. Quando é você sozinho dá pra se virar, vende uns tênis, um corre aqui e outro ali. Mas quando você descobre que tá vindo uma vida que depende de você pra tudo, a história muda completamente. Com o susto do início eu tive que começar a rever minha vida e o que eu tinha que fazer dali pra frente pra continuar andando de skate e ainda cumprir o meu papel com a minha família. Como eu já estava fechado com a Ademafia eu fui perguntar pro Lucas se ele sabia de algum trampo, por que já não dava mais pra ficar só pensando em skate, sem ter o mínimo de suporte e com um filho pra nascer. Aí foi onde o Lucas me chamou pra trabalhar na Ademafia, de início ajudando a filmar e o Cochi me ensinando a editar e, só assim, pude continuar fazendo o corre do skate. E na real, tudo que tá acontecendo agora foi um corre de muita gente que estava disposta a me ajudar a seguir no corre do board.

E como ta o trampo com a Ademafia?

Yan Felipe: A Ademafia é outro bagulho foda da minha vida. A partir deles tive um leque enorme de oportunidades, de todas as formas que se pode imaginar (risos). Hoje em dia eu sou o editor e cuido pra coordenar os conteúdos do canal. Mas como não somos muitos trabalhando ali dentro, todo mundo se intera de todas ações que estão acontecendo e na troca de ideia resolvemos pra onde vamos avançar e por aí vai. E não tem nada melhor do que trampar com os caras que são seus amigos, né?!

Ah, uma coisa que preciso perguntar, como foi filmar com o mano Crazy? Ele que assina o teu vídeo intro pra Faith.

Yan Felipe: (risos) Porra, foi dahora demais! Na real, nem era uma coisa tipo maker e skatista ali na função monstra, a gente colou em alguns picos abordo do MADMAX (carro do Crazy) que era bem gangstar e quando chegávamos ele era o primeiro a pegar a câmera e ficava até que voltasse a trick. Quando percebíamos já estava rolando a sessão pega. É noix tio Crayzonnn!

Momento merchan – quais os produtos da Faith tu tem usado e/ou indica pra galera?

Yan Felipe: Nesse momento tô portando os Pro Models do Enxaqueca, que passei lá no QG e resgatei de todas as cores, e os Pro Models de roupa do tio Crazy que também estão o aço. Agora só tô esperando a coleção de inverno chegar por que também já vi que tá vindo estalaaaanu!

Pra fechar, e aquela entrevista que o Dieguinho falou que tá produzindo contigo pra Vista… Tá como?

Yan Felipe: Essa só estamos esperando O Dieguinho colar aqui no Rio. A ideia é fazer aqui. Em maio ele tá colando e vamos lacrar essa!

 

Fotos por Diego Sarmento.
Vídeo por Daniel Crazy.
Entrevista por Tobias Sklar.