JOSIMAR FREIRE

grave – texto simples – colagem – vídeos – press e afins.

 

Josimar é aquele artista que te intriga, faz tantos trabalhos incríveis que o rótulo não o define. Entre textos, curvas distintas e vídeos homéricos a gente consegue ver sua identidade. Começou a andar de skate no natal de 1999 com seus nove anos de idade, bastou o primeiro contato para já ficar fissurado em revistas, ver vídeos e consumir as informações do universo do skate. Foi também seu primeiro contato com os gráficos dos shapes, capas dos vídeos, diagramações e matérias especiais em revistas…

 

 

Por volta de 2005 estava muito envolvido com o Hard Core e essa união com o skate, a vontade de contestação e o interesse pela contracultura no geral potencializaram a vontade de se comunicar e começou a pintar na rua nessa época. Sempre apreciou muito todo o processo de ateliê, então foi se aprimorando cada vez mais ao desenvolvimento da pintura por séries, dos livros de estudo e dos livros de artista, sempre produzindo os vídeos com os amigos e etc.

 

 

A inspiração dele vem através da sua vontade de se comunicar e conectar os mundos que habita, do skate, da música e da pintura. Onde ele mais se dedica é na abstração, onde busca essa representação do skate no campo urbano, as frequências de som e todos os detalhes da produção, as tensões e as levezas da nossa vivência.

 

 

Umas de suas grandes qualidades é na escrita, ele disserta temas de maneira direta, com as citações do universo do skate e da música, que acaba sendo mais uma extensão da sua pintura e com a caminhada com os discos e como dj há 11 anos.
Também aborda situações cotidianas e cria um diário visual com anotações do colapso, principalmente do nosso estado atual.

 

“SKATE NÃO É ESPORTE”

 

 

O vídeo é uma extensão da série Skate não é Esporte, que conta com o artistas Josimar Freire, foi produzido em Juiz de Fora entre os anos 2013 á 2016. A filmagem e a edição ficou por conta de Lucian Fernandes e colaboração na edição do André Viana e João Pedro Castanheiro, que também assumiu todas as animações.

A série é para reforçar o que a maioria de nós concordamos que é meio óbvio né, Skate não é Esporte. Trabalhamos como esse são essenciais para dar voz a toda a história, valorizando o skateboard como uma manifestação cultural e contemporânea que vai muito além de manobras e nível técnico.

 

“TEXTO SIMPLES”

 

 

Reúne estudos tipográficos cujos traços e semânticas dialogam com as referências do universo do artista, narrando e propondo indagações que são somadas com a intenção de reverenciar essas fortes influências no trabalho de Josimar Freire.

Estas influências passam pela identidade gráfica das capas de discos e pôsteres de filmes blaxploitation, estética de vídeos e publicações de skate, informativos de gravadoras, panfletos de protesto e cartazes empunhados em passeatas.
Na série Texto Simples a escrita se converte em pintura, buscando despertar no espectador o interesse pelos temas que estão inseridos nessa narrativa visual onde a composição gráfica dos trabalhos em grande parte tem a intenção de ser simples e direta. Aqui, os diversos estudos de pequeno e médio formato se agrupam com texturas coletadas pelos garimpos de discos e livros.
Buscando superar barreiras linguísticas impostas pela academia e instituições de arte, Texto Simples também propõem um diálogo híbrido e acessível na parte textual de sua produção. Vídeo produzido por Inhamis entre 2014 e 2015.

 

Grave #0

 

 

Este vídeo apresenta cenas ocasionais da produção do livro de estudos e da série “Grave # 0”. Produzido entre 2010 e 2011 pelo Inhamis Studio.

 

Grave #1

 

 

Livro de artista desdobrável/destacável que reúne oito trabalhos impressos em serigrafia, divididos em 2 folhas A3.
Cada página conta com diferentes aguadas de nanquim e a opção de destaque para cada composição.

Imagens e edição: André Viana Campos – 2015

 

Reescrita

 

 

Trabalho executado com o recorte de antigas pinturas sobre madeira, prego e martelo. A partir da limitação de materiais e ferramentas, busquei desenvolver uma escrita ocasional que incorporasse a maneira primária de produzir com poucos recursos em qualquer condição, independente de técnica ou matéria prima.

 

Imagens e Edição : Bruno Santinho e André Viana Campos

Acompanhe e conheça outros dos seus trabalhos incríveis

Blog: https://josimarfreire.com/

E-mail: josimarfreiregrave@gmail.com

Instagram: @gramboygrave
matéria por: @karmelliedmann
Diagramação por: @diamorim