Juntando Peças

Com orgulho que lançamos um projeto social inédito no mundo para fomentar a arte urbana através da realidade aumentada.

Com curadoria do Instagrafite, artistas Criola e Sliks criam “quebra-cabeça” artístico de 2 mil peças para beneficiar ONGs

A arte urbana, que respira pelas esferas públicas, teve que se reinventar durante o isolamento de combate à pandemia. Com o desafio de mantê-la viva mesmo dentro de casa, nós da Vista que temos o lifestyle urbano para desenvolver mídia, eventos e ativações para o público jovem, mergulhamos em inovação para promover essa ação solidária.

Conhecendo o perfil disruptivo do Instagrafite, formado pela dupla Marcelo Pimentel e Marina Bortoluzzi, conhecidos pela habilidade em unir arte e mídia nos ambientes reais e virtuais em formatos extraordinários, nós lançamos o desafio para contextualizar a arte para uma ação social.

O resultado dessa simbiose criativa é uma ação inédita, que utiliza a imersão tecnológica como ferramenta de expansão. Colocando a inovação a favor das ações sociais, o projeto “Juntando as Peças”, insere a arte ao universo da realidade virtual reunindo dois artistas brasileiros: Criola, diretamente de Minas Gerais, e Sliks, em São Paulo. “Juntos, mas separados” interagiram à distância, no mesmo mural de uma esfera digital do aplicativo Kingspray Graffiti Simulator VR, um simulador de grafite para realidade virtual de tecnologia 360º.

 

 

Os artistas escolhidos para o projeto, Sliks e Criola

Sabendo da importância da solidariedade em momentos como esse, todo o projeto ganhou força para beneficiar não somente a cena artística urbana e seus admiradores, mas pessoas em vulnerabilidade social. Dessa forma, Criola e Sliks levaram suas cores e propósitos para desenvolver uma arte que ganha o formato virtual através de uma Fine Art dividida em 2 mil peças em formato A5, disponíveis para compra. Em cada peça adquirida, 50% do valor é destinado para instituições de ação social que combatem os impactos da COVID-19.

“O Juntando Peças traduz muito bem o espírito que sempre levamos para nossos projetos. Focamos em criatividade e inovação, trazendo pessoas e marcas para agregarem no objetivo de entregar algo especial para a sociedade” diz Tobias Sklar, nosso diretor de criação.

O resultado final do trabalho produzido por duas mãos à distância é uma arte que também fala sobre resistência. Na obra, a mineira Criola trouxe suas cores e influências afro-brasileiras na figura da mulher negra com traços marcantes e imponentes, e Sliks, uma grande influência no graffiti e skate, imprime sua técnica no abstracionismo como senha, com ritmo contínuo e olhar essencial.

“Cada vez mais queremos disseminar a ligação entre a tecnologia e a arte, seja com realidade aumentada, aplicativos, projeção, tudo que permeia esse universo. Fazia tempo que queríamos juntar o vídeo game com arte. Tornar a tecnologia mais humana com esse propósito social, nos deixa ainda mais felizes que esse projeto nos possibilitou realizar algo totalmente inovador”, divide Marcelo Pimentel do Instagrafite.

Como ajudar
Para adquirir as peças e colaborar com esse projeto que movimenta o cenário artístico e leva renda para ações sociais, basta acessar o site do “Juntando Peças”. As artes são enviadas para todo o Brasil, e é possível fazer a compra de mais de uma peça, criando um verdadeiro “quebra-cabeça”, onde as peças se completam.

Projeto Juntando as Peças
Site: https://juntandopecas.com.br/
Valor das peças: R$299,00 cada

As ONGS
Entre os beneficiados, ONGS que atuam com crianças jovens e adultos periféricos, como a ONG Gerando Falcões, uma organização social com sede em São Paulo, que atua com projetos focados em esporte e cultura para crianças e adolescentes, além de qualificação profissional para jovens e adultos, sendo um motor de geração de renda para famílias, inclusive egressos do sistema penitenciário. Outro projeto na mesma linha de atuação é o Instituto Amparando, uma organização que participa da vida de famílias que vivem nas proximidades do antigo aterro sanitário de Jardim Gramacho – Duque de Caxias e no bairro Vila de Cava – Nova Iguaçu, com atuação através da educação e formação para a comunidade.

Levando subsídio para a área da saúde, a ação também atinge o Instituto Dharma, que atua a nível global, levando expedições voluntárias com equipe médica, odontológica e psicológica para os locais mais remotos do Planeta como Nepal (Na índia) e Sertão do Brasil (No Piauí). Com a missão de auxiliar mães solo moradoras de favelas de 17 estados e do Distrito Federal que estão sendo fortemente atingidas pelos reflexos do Coronavírus (Covid-19), o programa Mães da Favela é outro projeto a ser beneficiado no “Juntando Peças” que faz parte do Central Única das Favelas a maior plataforma de ajuda às favelas do Brasil com 150 milhões arrecadados e o maior projeto de conectividade de favelas no mundo. (CUFA).

Tendo no DNA a arte urbana e o lifestyle do skate, a Vista também se conecta com Ong Social Skate localizada no bairro de Calmon Viana (Poá SP), que tem como intuito garantir o acesso gratuito ao esporte educacional para crianças e jovens da comunidade. Começando pelo skate, o projeto expandiu seus horizontes organicamente, agregando outras atividades esportivas e culturais como teatro, ballet e circo.