REINTERPEDRA

 

O skatista e multi artista Klaus Bohms traz para dentro do Red Bull Station durante o #mesavista de 13/07 a 31/08 os restos imortais da história do skate brasileiro e mundial, os granitos e pedras portuguesas do, agora antigo, Vale do Anhangabaú, que por quase 30 anos foi palco de milhares de manobras, fotos, vídeos, amizades e conversas sobre skate.

Garanto que a urbanista Rosa Kliass, responsável pelo projeto no começo dos anos 80, o qual ficou engavetado por quase uma década e só finalizado em 1991, nunca imaginaria que em 2019 um grupo de skatistas se uniriam para lutar politicamente para que seu projeto fosse reinterpretado e levado consideração no novo projeto de urbanização do Vale do Anhangabaú.

 

 

Trazendo as pedras e os granitos do Vale para dentro da instituição, Klaus resgata a história de cada manobra acertada ali, resgata também o poder que a arte tem na sociedade, ainda mais nesse momento do país, onde a cultura e a realidade da população é praticamente colocada à margem do poder financeiro e político.

Utilizando dessas ruínas, Klaus convidou Marcelo Formiguinha, skatista local que virou uma personalidade global no segmento quando o assunto é skate no Vale do Anhangabaú, para fazer nessas ruínas o que fez durante os últimos 25 anos nessas pedras antes de serem ruínas, utilizando um shape que Klaus produziu através de colagens especialmente para essa exposição com esse tema.

 

 

Tudo isso foi filmado e editado por Murilo Romão, skatista e video maker paulista, dirigido por Klaus, para ser exibido em sua instalação chamada Reinterpedra, em homenagem a luta que os três estão travando com a administração da cidade para que pelo menos essas pedras e granitos sejam reutilizados no novo projeto do Vale do Anhangabaú.

Como sabiamente dito pela historiadora brasileira Emília Viotti da Costa: “Um povo sem memória é um povo sem história. E um povo sem história está fadado a cometer, no presente e no futuro, os mesmos erros do passado.” Errar, e errar até acertar a manobra, é a realidade de todo skatista, mas não pode ser a realidade de uma cidade tão incrível como São Paulo.

 

 

Se o skate foi o grande acerto do Vale do Anhangabaú dos últimos 30 anos, porque não continuarmos acertando essa “manobra” por mais muitos anos como Klaus e os skatistas estão sugerindo e demonstrando?

 

 

Veja também a cobertura completa do Festival Mesa Vista no Red Bull Station – AQUI!

Texto por Flávio Samelo.

Fotos por Ale Urch e Flavio Samelo.