Série CQTL MLTV

Sem programação para esse Carnaval estranho quase sem feriadão? Melhor mesmo ficar em casa, por enquanto pouca gente teve acesso a vacina, então melhor não descuidar. Mas, porém, ah, porém, nada impede que você se divirta dentro das normas de segurança vigentes para quem acredita em terrabolismo. Por isso vamos deixar uma dica quente aqui, a Série CQTL MLTV.

 

(foto: Hannah Carvalho)

(foto: Hannah Carvalho)

(foto: Hannah Carvalho)

Gravada no Fauhaus, São Paulo e no Criatório em Gravatá, a edição da série, que faz parte do festival No Ar Coquetel Molotov, por isso a sopa de letrinhas da atração, explorou recursos tecnológicos, como o chroma key para criar um intercâmbio com os artistas que, com suas experimentações musicais, foram o grande destaque da edição. O resultado é uma obra que traduz de forma genuína, a essência do CQTL MLTV, revelando novos artistas, ditando tendências nacionais e internacionais e resgatando em meio a clausura da pandemia, a emoção de estar presente no festival.

A série traz depoimentos de bastidores e faz o espectador compreender quase que de forma sensorial, o ano que passamos através de uma reflexão e registro histórico de um momento em que uma fissura apareceu na sociedade, revelando algumas das nossas contradições mais profundas.

Adaptado a pandemia, a série do festival mostra sua potência logo de cara, com uma apresentação fascinante da pernambucana Bella Kahun. Sua voz doce e penetrante é uma das grandes revelações da série. “Eu não quero ser só uma. A arte não tem que ter limitação”, comenta a artista que abre a edição cinematográfica em um cenário marcante e rodeado pela natureza que traz também, apresentações emblemáticas de Luiz Lins (PE), Martins (PE), Aretha Sadick (SP), Avoada (PE), Bell Puã (PE), Boogarins (GO), Ava Rocha (RJ), Derek (SP), Hrönir (PE), Jup do Bairro (SP), Lia de Itamaracá (PE), Miãm (PE), Test (SP), Thelmo Cristovam (PE) e Tuyo (PR).

 

 

Somando aí dá umas 3 horas de muita música!
Com direção musical de Benke Ferraz (produtor e guitarrista do Boogarins), a Série CQTL MLTV tem produção audiovisual da Bateu Castelo e gravação e mixagem de áudio da Fábrica de Estúdios e convida o público para uma imersão única na música em meio a uma paisagem bucólica, cercada pela natureza num verdadeiro respiro em meio à quarentena pela pandemia vigente.

 

(foto: Hannah Carvalho)

(foto: Hannah Carvalho)

(foto: Hannah Carvalho)

 

Apostando em vivências digitais, o festival criou uma alternativa aos shows presenciais, para continuar com a sua missão de fomentar a cena cultural brasileira e manter cerca de 200 empregos. Artistas, produtores, motoristas, cozinheiras, eletricistas, costureiras e cinegrafistas, são alguns dos profissionais que tiveram suas rendas mantidas com a série do festival. “Nos debruçamos sobre desafios alternativos à presencialidade, o que nos permitiu criar novas propostas e experimentações de entretenimento. O resultado foi realmente incrível pois foi tudo feito com muita garra, carinho, cuidado e emoção”, comenta Ana Garcia, diretora do festival.

//

por. tobias sklar