STU – Skate Open

A praça Duó foi completamente recheada por quase uma semana de intensa programação. Muito mais do que as manobras distribuídas a cada segundo pelos mais de 200 skatistas participantes da competição, o espaço foi tomado por diversos elementos da cultura do skate. Arte, música e muita festa. E grandes histórias. Das demonstrações de carinho por todos os lados para ídolo Pat Duff até o assombro quase geral de ver um local desconhecido, pelo menos para a maioria de nós, ganhar um best trick na presença de Bob Burnquist no bowl,
Quando Pâmela Rosa e Yuto Horigome foram chamados para receber suas premiações estavam apenas colocando a cereja no bolo dessa grande confraternização que varreu o Rio de Janeiro.

STU – Skate Open
STU – Skate Open
STU – Skate Open
STU – Skate Open
STU – Skate Open

_competição

No Open Masculino, 176 skatistas competiram. Destes, 104 Profissionais, sendo 78 brasileiros e 26 estrangeiros. Além deles, 72 amadores, 54 brasileiros e 18 estrangeiros. Entre eles grandes nomes mundiais como Luan Oliveira, Carlos Ribeiro, Kelvin Hoefler, Felipe Gustavo, Tommy Finn, Ryan Decenzo entre outros. Mas como não destacar o Amador paranaense Lucas Alves? De round em round ele foi conquistando espaço entre os competidores que avançavam, obviamente sempre chamando atenção pelas manobras, mas, no meu caso, ainda mais pela presença de espírito. Imagina o que é você estar no meio desse monte de caras que tu admira, com arquibancadas lotadas e o locutor chamando o seu nome… Deve ser muito louco! Imagino que esses dias dificilmente vão sair da cabeça do moleque por um bom tempo. E o que dizer do nosso amigo japonês? Simplesmente a prova que o skate não tem fronteiras. Você só precisa ser skatista pra entender isso e poder usufruir a oportunidade. O Yuto, sem dizer uma palavra sequer que a gente entenda (ou alguém aí fala japonês?) mandou a real com todas as letras.

No Feminino, das 28 competidoras inscritas, 19 eram brasileiras e mais nove estrangeiras. Bonito de ver. Mesmo. O alto nível que elas apresentaram foi um tapa na cara de muita gente que ainda insiste em achar que o Feminino não merece exatamente o mesmo espaço que o Masculino. Inclusive, cá entre nós, esse papo de naipes a essa altura da humanidade tem que evoluir. Como essas garotas. Com estratégia e concentração Pâmela Rosa confirmou seu status de campeã mundial. Completando o pódio a também brasileira Gabi Mazetto e a austríaca Julia Brueckler mostraram ao que vieram.

Veja os lives Vista das finais masculino e feminino:

_música e arte e mais skate

E a Duó também foi palco para muita música e muita arte. Com curadoria da Homegrown, containers com obras dos convidados Flavio Samelo, Mottila, Sesper e mais uma variedade de artistas e fotógrafos deixava bem clara a relação entre skate e arte.

Comandando o som, DJ Tamenpi mandava as pedradas durante o dia no espaço que recebeu diversos workshops e talks. Quase sempre infestado de crianças, muito sortudas, que podiam correr com seus skates pra lá e pra cá no meio daquele monte de monstros.

Outra atração foi o espaço da TNT. Os artistas Fabio Tirado e Marcio Bunys customizavam latinhas pra galera que curtia o live painting do Wolmin. Enquanto ao lado os mais fissurados podiam matar a vontade de andar manobrando por cima de um latão, no melhor clima dos clássicos campeonatos dos anos 80 e 90. Isso tudo em frente ao bowl, que recebeu 2 best tricks insanos comandandos pelo Nilo Peçanha e pelo Azul.

E, claro, não podemos esquecer do palco principal onde Marcelo D2 chamou a Ademafia junto com o Bloco 7 para fazer a maior bagunça de palco que você jamais viu na vida. E que coisa boa! Diversão pura pra eles e pra todo mundo que estava por lá no sábado. Domingo a Karol Konká e o Filipe Ret deram o adeus final ao evento com direito aquele clima de praia gostoso.

_fechando a conta

Tentar resumir o sentimento envolvido no Oi STU Open é bem difícil. Um evento que promoveu encontros, risadas, manobras, ideias, tudo em profusão. Sorte nossa que boa parte disso tudo foi registrado pelo mestre Flavio Samelo. Então curta as fotos e os LIVES.
Toma

 

Classificação Final Open Masculino

1 – Yuto Horigome (JAP)

2 – Tommy Fynn (NEW)

3 – Lucas Alves (Curitiba)

4 – Joseph Garbaccio (FRA)

5 – Vincent Milou (FRA)

6 – Kelvin Hoefler (BRA)

7 – Carlos Ribeiro “Dudu” (BRA)

8 – Matias Dell Olio “Marolio” (ARG)

 

Classificação Final Open Feminino

1 – Pâmela Rosa (BRA)

2 – Gabriela Mazetto (BRA)

3 – Julia Brueckler (AUS)

4 – Mariah Duran (USA)

5 – Candy Jacobs (HOL)

6 – Charlotte Hym Paris (FRA)

7 – Helene Gerard (FRA)

8 – Vitória da Silva (BRA)

 

Textos: Tobias Sklar
Fotos: Flavio Samelo