Vista 064

Nosso editor convidado, Renato Custódio, escreveu um inspirado e descritivo editorial para a Vista 064. Abaixo você fica sabendo quem, e por que, está nessa edição pelas palavras dele mesmo.

Tempo ao tempo.

“Essa semana durante um encontro que participo, estávamos discutindo a relação do tempo no nosso trabalho. De que maneira pode interferir e qual a importância dele existir. Resolvi falar aqui abertamente sobre esse assunto, pois reflete muito em tudo o que nós fazemos.

Por exemplo, a matéria que está saindo agora de uma viagem que fiz para Nova Iorque em maio do ano passado. Esperamos com paciência até que o tempo nos dissesse de que maneira poderíamos publicar e quando. É importante deixarmos as coisas acontecerem naturalmente, sem força-las sair do forno antes da hora.

Qual a razão de sair desesperado querendo que algo seja publicado ou não?

Outra matéria que escolhi para essa edição foi a entrevista com Takahiro Morita. Meu primeiro contato com o trabalho dele foi em 2012, quando fui ao Japão com o Rafa. Já havia visto alguns vídeos dele (da sinuca por exemplo) antes de me deparar com as obras completas (Underground / Overground broadcasting). Desde do primeiro dia que cheguei no Japão estava curioso pra saber se encontraria o cara ou alguém ligado a FESN. Os caras são muito fodas, estão anos luz a frente do que estamos acostumados vindo dos Estados Unidos. Procurei alguns DVD`s originais dos vídeos dele e não encontrava. Disse ao meu amigo Uru que estava muito afim de conseguir o DVD e então ele fez uns contatos e disse para esperarmos. No último dia da viagem não é que apareceu a versão original e vieram me entregar. Me disseram que foi muita sorte, porque o DVD já estava esgotado faz tempo.

Nós skatistas temos uma relação peculiar com o tempo.

Numa conversa com o Roger, outro figura singular da nossa terra explorada, falávamos sobre os rumos e caminhos à seguir e já traçados. Foi o Roger que entrevistou o Morita e ele mesmo responsável pelo UMATOGRAPHER que também está impresso nas nossas mãos. O Roger é um dos caras que lida com o tempo de maneira que só ele pode nos dizer como é. Ele pinta, filma, edita, anda, corre, para e observa. Deve estar de malas prontas para Sorocaba e sabe-se lá o que vai aprontar nessa nova empreitada.

Pra onde vou agora?

Outro trabalho que tem uma relação com o tempo é o C41. Desde quando comecei a fotografar, no início dos anos 2000, sempre gostei de fazer sobreposições e ver o resultado. Na fotografia analógica é muito louco, pois na maioria das vezes você nem lembra o que fotografou nas sobreposições. Em 2012 fiz minha primeira foto com 4 exposições simétricas que hoje utilizo no trabalho C41. Quando a fiz, nem imaginava em módulos de azulejo, pintura e performance. Performance? Pois é, pra onde será que vamos se deixarmos o tempo apontar os caminhos?

É importante parar de produzir loucamente e observar o que estamos fazendo, colocar algo na gaveta e depois de um tempo tirar e repensar”.

capa_1200

Capa
Skatista: Takahiro Morita
Fotógrafo: FESN

Por. vista