Vista 067

O que não é visto, não é lembrado? “Depois que o trabalho vai para a rua, você não tem controle mais de nada. Os lambes são em tamanho real, então incomodava muito porque são pessoas que comumente não são vistas naquelas regiões” conta o Maurício Pokemon em sua entrevista desta edição. Seu trabalho conversa com uma realidade cruel da sua cidade, Teresina. A gentrificação e sua perversa lógica de afastar moradores de áreas que recebem atenção do capital.

Sonhos também podem estar escondidos em recônditos da memória afetiva e virem à tona em uma despretensiosa viagem como explica o Marco Cruz sobre sua sessão no Nude Bowl: “muito louco pensar nisso! Porque hoje é o sonho se tornando realidade, só quem for um dia neste lugar entenderá na totalidade o que estou passando no texto. O lugar é no meio do deserto e tem uma piscina! Cenário é meio surreal, mas a aventura e a diversão são garantidas. Sei lá quais palavras usar para descrever esse sentimento”. Alguns momentos dispensam mesmo as palavras.

O que dizer dos Moais encravados na terra e mirando o horizonte em Rapa Nui? A atração pelo desconhecido e suas possibilidades cósmicas lançou o skatista Victor Sussekind na aventura da sua vida, contada aqui na revista e posteriormente numa exposição e também em vídeo.

Todos procuram um lugar para mostrar trabalho em busca de um lugar ao sol e, nada melhor que Nova York para isso acontecer. Muitos skatistas por lá andam pelas sombras, mas fazem acontecer. E Ricardo Napoli, fotógrafo e videomaker brasileiro radicado na capital do mundo, nos mostra quem são eles.

E mais ArteMuda e a coleção de tampas de bueiros registradas pelo Anderson Tuca mundo à fora. O que ninguém está vendo é o que queremos enxergar primeiro e deixar exposto à sua vista! Para isso que estamos aqui, indo sempre além.