Vista 072

Nem tudo é HD, galera! As possibilidades e texturas, tanto da vida quanto da nossa Vista, são infinitas. Confira o que temos para você nessa edição que abre com um falkor.

Câmeras menores, mais baratas e nos celulares, só favorecem o crescimento da produção e do consumo de conteúdos, coisa que nós skatistas já temos bastante intimidade. Por isso os registros analógicos point and shoot também estão por aqui.

Com a divina colaboração de:

Samuel Esteves – na matéria “Um Falkor” o artista nos traz um pouco do seu acervo mais querido e pessoal. Além de explicar sua negação de brechas para o julgamento imediato. E que os bichos são as pessoas mais espontâneas.

Felipe Marcondes – um skatista cheio de estilo, mas talvez muito longe das capitais. Uma oportunidade para o fotógrafo Vinicius Branca nos convencer rapidamente.

Casualidade – “Esse projeto sintetiza minhas ideias a respeito da produção de vídeos de skate nos últimos anos. Não há uma narrativa ou tema específico, pois na verdade eu gostaria que a forma fosse apreendida pelo público, sem muitas distrações” nos contou o idealizador de Casualidade, o skatista Andre Viana. Não perde!

Além da Província – se alguém já achou que estamos falando muito de vídeos e pessoas que estão fora do radar do “game”, acertou. Nessa, Ademar Badê e Victor Souza registram os momentos que foram virar um vídeo que registra a delícia da cena no Centro Oeste.

E aquele ArteMuda recheado com as duplas:

Flavio Samelo e Zequinha

Bruno Park e Bruno Aguero

Bruno Roch e Thyago Silva

Carlos Taparelli e um coração despedaçado

Daniel Souza e Adauto Oliveira

Joviano Rodrigues e um skate

Aproveite e já confere a cobertura do VISS – UM FALKOR, onde além de distribuição da edição 072 rolaram diversas outras paradinhas, como o lançamento da collab adidas x Gasius que teve direito até a pizza party. Sem contar na parte musical e das artes.

Leia Vista!
Improbabilidade do estilo, sempre além

A Morte do Impresso

A morte é um período transitório. Não um ponto final. Precisamos aceitar as mudanças. Elas são boas. Significam novas possibilidades. E são estas partes que vão pavimentando o caminho da evolução. A Vista como você conhece, termina agora. Sem choro, nem vela. Mas tranquilo, nossa alma, segue viva e ativa. Você pode nos ver e reconhecer em tantos espaços que nem imagina. E seguiremos por esses caminhos da vida.

Dito isso, façamos como a sabedoria dos hermanos mexicanos nos ensinaram e vamos comemorar num dia onde tudo se encontra. A vida e a morte, o real e o mágico, o conteúdo e a produção. Uma revista, um evento. Você! Sim, a parte mais importante para que tudo faça sentido

Vamos ocupar a rua!
Vem pro VISS BLOCK PARTY
16.12 - 15h | Casa da Vista - SP