W. LOUD – top 9

O W. Loud vem chamando atenção do grande público já faz tempo. Eu mesmo conheci seu trabalho por volta de 2018, quando começou a lançar sua série maravilhosa de capas de histórias em quadrinhos com rappers encarnando super heróis. Quem não viu essa? Mas ele tem mais para contar sobre o seu trabalho. Por isso, numa missão lá do início do ano, chamei ele para comentar as 9 imagens mais curtidas do ano passado. E é disso que vamos falar aqui para baixo:

01_Eu me desenhei de Cebolinha ali para agradecer pelos 11 anos que eu trabalhei na Turma da Mônica. Foi a postagem mais curtida do ano passado porque carrega muita história. Foi um lugar onde eu aprendi coisa para caramba. Eu quis fazer essa homenagem, como despedida, agradecendo. Foi muito importante, teve mais significado pela história do que pelo desenho mesmo.

 

02_Essa é do projeto Rap em Quadrinhos, que eu fiz com meu amigo Load. A gente desenha personalidades do Rap nacional como super heróis.Esse foi o Djonga, e ele é um absurdo. Cada disco que esse cara lança é um soco na cara. E eu tenho escutado muito. Sempre me diverti muito fazendo esse projeto, é sempre legal desenhar o que a gente gosta.

 

03_Este é bem recente, foi na eleição de São Paulo. Na época o Bruno Covas (prefeito da cidade) tinha falado para não optar pelo radicalismo e tal, tentando dizer que o Boulos (candidato a prefeito) fosse radical. Então eu desenhei ele no skate, achei que seria maneiro. Eu gosto muito de me posicionar politicamente. E acho que tenho o dever de me posicionar, ainda mais quando o outro lado vem trazendo tanta coisa ruim pra sociedade. Esse dia foi isso, uma semana ou menos antes da eleição, e foi legal, o perfil do Boulos até repostou, foi bem maneiro.

 

04_Essa do Saci acho que deu mais comentários do que curtidas. Porque eu tinha pintado um Saci pixando o muro que o Monteiro Lobato era racista e isso deu um rebuliço enorme. Por que é complicado ficar mexendo nessas coisas, mas a real é que ele era mesmo. Era racista pra caralho. Ele trocava cartas com o pessoal da KKK, queria trazer eles pro Brasil. Eu até entendo o contexto da época, mas hoje em dia isso ser ensinado na escola, ser passado pra molecada do mesmo jeito que era antigamente, é muito errado. Ele tratava o povo preto como nada, como animal, ou até pior. Então foi doido isso aqui. 

 

05_Essa do João Gordo meio santo foi um pedido dele. Eu trabalho bastante com algumas bandas, inclusive com o Ratos. O Gordo queria fazer uma estampa com vários animais, falando do veganismo. Eu sou vegano também, então foi muito legal de fazer. Eu gosto pra caralho de trabalhar com o Gordo, ele é um cara muito criativo, com ideias muito boas. Eu gosto pra caramba desse desenho que acabou virando camiseta, porta-cerveja, muito legal.

 

06_Esse do Gabriel O Pensador como Dr. Fantástico do Quarteto Fantástico é daquele mesmo projeto do Rap em Quadrinhos e o Gabriel é outro monstro. Ele é um ícone da música do Brasil, tem um Rap diferente pra cacete. E foi muito legal mesclar ele com o Quarteto Fantástico.

 

07_Essa é um rótulo para uma cervejaria do Rio, chamada Mito. Justamente pra fazer essa ironia com o presidente atual. Então todos os rótulos são uma charge de alguma situação que está acontecendo. E na época desse aqui, que chama “cidadão de bem”, era de quando estavam dando todas as merdas de gabinete do ódio, que o filho número 02 do Bolsonaro, o Flavio, envolvido com um monte de coisas. Então esse trabalho tem um monte de referências. Foi muito legal trabalhar com essa cervejaria, porque me deixaram livre pra criar sobre um tema que certamente vai dar o que falar. Consigo trabalhar e também expressar o que eu to sentindo.

 

08_Esse é o cartaz oficial do show do Wu Tang Clan aqui no Brasil. Eles vinham pro Brasil ano passado, aí eu enchi o saco da galera que tava trazendo eles pra poder fazer o cartaz de divulgação. Eu fiz em homenagem a uma capa do Super Homem onde tem diversas pessoas abrindo a camisa e tem o símbolo na camiseta de baixo, então eu fiz essa galera toda abrindo a camiseta e tendo o símbolo do Wu Tang Clan. Aí eu coloquei uma galera, tipo Mano Brown, a Marielle, me desenhei, botei o Loud. A pena foi que esse show não rolou, por causa da pandemia.

 

09_E o último, mas não menos importante, é um desenho de protesto. No início da pandemia e o Bolsonaro estava completamente sem noção, até hoje está, né?! Eu fiz como se tivessem arrancado a cabeça e com uma máscara toda suja. Era o que eu estava sentindo na época, muita gente morrendo, tudo entrando em colapso e ele tratando como se fosse uma babaquice, uma coisa idiota. E não é, ele que é desprezível. Então eu quis desenhar alguma coisa sobre e então saiu isso.

link para o top9: https://www.instagram.com/p/CJLa3q0AaBR/

Confira todo o trabalho do W. Loud pelo insta: https://www.instagram.com/w.loud/

Curtiu o trabalho dele? Aproveita e dá uma chegada para ver as ofertas de merch: https://heartmerch.com.br/loud/

//

por. tobias sklar