ZINE: Ruído Lunar

 

Alguns dias atrás eu estava arrumando o nosso pequeno acervo de impressos da Vista – por aqui tem alguns zines proprietários, outros que recebemos de leitores (são os presentes que mais curtimos), outros livros e produções independentes e algumas paradas que são do Samelo mas que de alguma forma vieram parar aqui. Entre todos eles achei esse fanzine, que me chamou muito a atenção mesmo estando bem escondidinho no canto.

Ruído Lunar foi feito pela Meg e explora uma das temáticas que eu mais briso em cima: o céu, a Lua e ainda envolve o skate. Não sei exatamente como esse zine foi parar ali nos nossos expositores, mas é dele que falamos essa semana aqui no site.

 

 

 

Feito de seis páginas soltas, em um papel reciclato tamanho A5, a capa da produção traz a foto de um saquinho de pão e nas páginas seguintes um texto que fala sobre o satélite natural da terra recebe em cima de si algumas colagens de fotos, pequenas definições de palavras profundas como “ruína” e “estrutura“, pequenos poemas e o que parecem ser recortes de revistas ou livros. Além disso, todas as páginas de dentro tem a mesma numeração: 19.

 

 

Se tudo isso foi intencional ou apenas uma junção aleatória de fotos, recortes e textos, nós não sabemos. Mas, de fato, gostaríamos de conhecer Meg, pra entender um pouco mais e principalmente para que essa matéria pudesse enfim trazer algumas respostas sobre a verdadeira intenção dela ao juntar tudo isso e assim acalmar minhas curiosidades. Mas talvez, seja disso que a arte é feita, sentimentos sem conclusões e aleatoriedade. Algo que não se explica. Algo que se faz de um sentimento e que é recebido por outro, fazendo com que cada um se questione de maneira tão individual.

 

 

Agradecemos a Meg por essa produção e se você a conhece, fala pra ela dar um salve na gente!
Apoie produções independentes e artistas locais!

Curtiu? Manda seu zine ou trampo pra gente! Você pode entrar em contato pelo e-mail leia@vista.art.br ou enviar para o endereço Rua Felipe de Alcaçova, 73 – Vila Madalena, SP

Por Luísa Mattos