DISCO RECORDS: Ícone e Música

Na próxima quarta-feira, dia 14 de abril, vai ao ar a exposição online “DISCO RECORD”, do Thiago Icone K. 

 

Como o próprio nome da exposição entrega, as obras do Ícone nessa amostra trazem toda a influência musical dos álbuns na vida dele e cada tela tem formato de disco. Segundo ele, “são 21 anos de relação com arte, música, hip hop e grafite colocados em 13 obras e cada uma delas tem uma história”.

 

Aqui na VISTA a gente bateu um papo com ele pra saber mais sobre essa exposição e você pode ouvir o podcast BASE SONORA #22 com o Thiago Ícone, apresentado pelo fotógrafo e parceiro Thomas Teixeira, o Toddy. 

 

Ouça aqui.

 

Mas além dessa conversa, como a gente é fã das mesmas coisas que o Ícone, a gente trocou outra ideia com ele pra saber mais desses discos influentes da vida dele. Não se engane: não foi fácil escolher só 5 álbuns de tantos que influenciaram o Thiago. Então pode crer que esses aqui dessa lista são realmente especiais: 

 

 

 Mighty Clouds Of Joy – Night Song (1989)

 

O primeiro disco que queria falar é esse do Mighty Clouds of Joy. Meu pai, fã de black music desde moleque, me apresentou esse disco em 1998 e, quando ouço, lembro das tardes que passamos ouvindo esse disco e ouvindo a rádio Antena 1.  Ele me contava boas histórias de quando ele cantava na noite do RJ com seus 20 anos de idade. Um disco muito bem construído e produzindo, Soul Gospel com as texturas do fim dos 80s. Ouço até hoje! Obrigado Pedro Monteiro!

 

Michael Jackson – Dangerous (1991)

Conheci esse disco em 1992, o ano em que sua turnê pousou aqui no BR. Eu tinha 8 anos  e foi mágico saber que o MJ estava por aqui. Eu já tinha me tornado fã por conta do especial de clipes que passava todo ano na extinta TV Manchete, canal 9. Lembro de ter ganhado do meu pai um poster do comercial da Pepsi em que MJ estava ao lado de sua pantera preta. Me sentia um fã reconhecido e registrado por ter aquele pôster estampado na parede do meu quarto. 

 

Anos depois buscando informações desse disco, descobri que foi o primeiro disco sem a presença de Quincy Jones e mesmo assim foi um disco em que MJ inseriu elementos  urbanos, participações e referências do Hip Hop. Como curtia ver os clipes de Jam, Remember Time e Black or White 

 

Thaide e Dj Hum – Preste Atenção (1996)

 

Em 96 ganhei uma fita cassete com vários raps de um amigo 4 anos mais velho que eu e foi blow mind total!. Era uma coletânea com Racionais Mcs, GOG, Consciência Humana e, entre outras músicas, tinha uma faixa do disco do Thaide e DJ Hum. Faixa essa que ilustrava o título do disco. 

 

Dias depois consegui o CD emprestado e ali tive uma imersão muito profunda nas letras e beats, foi o disco mais influente para mim naquele ano, até porque Sobrevivendo no Inferno do Racionais não tinha nascido ainda. Preste atenção: foi o disco que me mostrou que podemos ser mais e melhor mesmo morando e sofrendo na periferia. Nesse disco entendi e identifiquei o lado bom e ruim da rua e que existem sim boas alternativas para se viver.

 

 

Mavin Gaye – I Want You (1976)

 

Esse é um disco que me influenciou a procurá-lo em sebos pelo centro de SP (hahaha). Nem preciso falar de como Marvin influenciou o mundo com sua arte, mas esse disco é muito especial por ter Leon Ware, um master musicista e produtor dos anos 70. No dia em que achei essa pérola o vendedor me deu várias informações de brinde, foi o primeiro disco pós Motown e com características diferentes do último sucesso Lets Get It On.

 

 O disco recebeu críticas mistas e só ganhou reconhecimento retrospectivo de escritores e críticos de música como uma das obras controversas de Marvin e influente em estilos musicais como, Disco, Quiet Storm, R&B e Neo Soul. Meu disco favorito dele!

 

Madvillain – Madvillainy  (2004)

 

Conheci esse álbum em 2005 quando comprei um computador, mesmo que em 2003 já tinha tido contato com coisas do Doom e da Stones Throw com um cd mp3 com Quasimoto, Lootpack, Jaylib e etc… Mas o Madvillainy foi algo inexplicável pra época. Um portal se abriu para mim e anos depois, conhecer a fundo a concepção desse álbum e até de como a dupla se formou foi fantástico.

 

Não tenho muitas coisas pra dizer sobre esse álbum porque às vezes faltam palavras e adjetivos. Só digo uma coisa: quem não foi influenciado de alguma forma por esse álbum ainda vai ser, pq é um álbum atual e surpreendente, mesmo sendo de mais de 15 anos atrás. 

 

Conheça mais sobre o trabalho do Ícone K aqui: 

Site dos trampos

Instagram